quarta-feira, 17 de maio de 2017

terça-feira, 7 de março de 2017

Mas os deuses...


eles sabem que valeu á pena, segurar essa barra..

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Qualquer semelhança com nossos tempos, não é mera coincidência.

"Nesse sentido, o Estado vem atuando, com uma fúria jamais vista, com procedimentos voltados a um verdadeiro desmonte da esfera pública, efetuando a privatização dos mais elementares bens públicos (como saúde e educação), sob o propalado discurso da necessidade de reduzir o déficit público.

A idéia de déficit público é freqüentemente vinculada pelos governos à relação direta com a produção de bens sociais de caráter público e não à presença dos fundos públicos na reprodução do próprio capital. James O'Connor (1973: 78) indica que a "crise fiscal do Estado" está diretamente relacionada à disputa entre os fundos destinados à reprodução do capital e os destinados ao financiamento de serviços sociais públicos. É no interior desse discurso que se fortalece a dicotomia entre "público" e "privado", caracterizando-se por público tudo o que é ineficiente, aberto ao desperdício e à corrupção, e por privado a esfera da eficiência e da qualidade. Oculta-se, também, de forma cuidadosa, o fato de que a precária situação das contas públicas não tem origem apenas no excesso de investimentos em ações de natureza pública, mas também na incapacidade dos governos em ampliar suas fontes via reformas no sistema tributário, controlar as taxas de evasão e sonegação, que ocorrem em larga escala.

No dizer de Atílio Borón (1995: 78), esse "discurso satanizador do público" passa a fortalecer a idéia da crise estrutural do Estado, criando-se uma cultura anti-Estado que cimenta a necessidade de privatizar bens e serviços de natureza pública, apropriados pelas empresas privadas como fonte de novos lucros. É com essa lógica que se fortalecem as relações Estado- sociedade-mercado e criam-se padrões, no âmbito da subjetividade e do consentimento, da necessidade de sacrifício de todos os segmentos de classe para "salvar" a nação. Enquanto nos períodos populistas as classes hegemônicas faziam concessões aos setores populares, nos anos 90 há uma inversão desse processo, na medida em que o Estado, em nome das elites econômicas, impõe sacrifícios às classes populares, as quais consentem em favor da hegemonia burguesa. Reforça-se, assim, uma "cultura política da crise", cuja pretensa verdade é repassada à sociedade e incorporada, principalmente pelas camadas de classe subalternas (mas não só), como única, numa assimilação de concepção de mundo matriz de uma unidade ideológica que congrega toda a sociedade. Reafirma-se, assim, a hegemonia burguesa, na medida em que uma determinada visão de mundo converte-se em senso comum, tornando-se o cimento de um novo bloco histórico."
<http://www.acessa.com/gramsci/?page=visualizar&id=294>

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Adeus companheira


"Quando você comemora a morte de alguém, o primeiro que morreu foi você mesmo." 
(Papa Francisco)


Vá em paz dona Marisa, edificou mais do que uma vida justa e digna em terra, mas participou integralmente da história de milhões de pessoas ao construir um partido e um projeto, travar uma luta e contribuir no estabelecimento de uma realidade mais justa e humana neste país.

Obrigada. Que as forças superiores a recebam e esteja em paz.

R.I.P.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Ah..

... a saudade.

Tem dia que chega a dar falta de ar.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Sem mais


O Afeto é Revolucionário

"Em tempos de descaso, importe-se. Diante de tanto ódio, ame. Depois de uma discussão, abrace. Mande mensagem no dia seguinte. Envie aquela música que te lembra o outro. Chore em algum ombro. Seque as lágrimas chorando de rir. Esteja lá quando te ligarem pedindo ajuda. Dê bom dia no elevador. Faça yoga, mas não se esqueça de cumprimentar o porteiro. Ame. Beije. Importe-se. Sinta.

Em terra de desapego, o afeto é revolucionário. Quem ama, protesta. De uma forma sutil, delicada e poucas vezes reconhecida. Demonstrar é nadar contra a corrente. É preciso força, disposição e, mais do que isso, paciência. Nem sempre vai dar certo e quase nunca irão reconhecer. Por isso, não espere nada em troca. Abandone as expectativas e abra mão do reconhecimento. Faça por você mesmo, faça pelo outro, mas não espere que façam o mesmo por você.

Não desista. Quem foge do padrão, vira alvo. De intolerância, de incompreensão e, sobretudo, de descrédito. Você será o trouxa, o louco, o “fora da casinha”. “Quem, em tempos atuais, ainda acredita? Ainda sonha? Ainda se importa?” Mantenha-se firme. As desilusões serão constantes. E aí, curta a bad quando ela aparecer. Afinal, por mais dolorosa que ela seja, é sinal de que você se afeta pelas coisas e que elas te afetam de algum jeito.

Seja um militante, mesmo que não frequente protestos. Lute pelo direito de se importar. Não precisa fazer barulho para que seja ouvido, no entanto, mesmo em silêncio, ame. Reconheça a nobreza dos pequenos gestos e os inclua em sua rotina. Esqueça as regras e os manuais do que fazer e de como agir. Siga o seu coração, ele lhe indicará o caminho.

O mais importante: não tome esse texto como regra. Se não lhe cabe, não faça. Nada aqui é imposto, pelo contrário, a única imposição é que você seja livre. Para amar, para se importar, para se doar. Livre para ser você, do seu jeitinho esquisito e único. Só lhe peço para continuar, mesmo diante de tanto obstáculo. O afeto é o seu bem mais precioso, então, não desista dele.

Amar não depende de reciprocidade."

(Isabela Nicastro)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

"Só uma fase"




Na adolescência, a frustração e o desencantamento do mundo são frequentemente observados. Tais sentimentos são prováveis que ocorram aos jovens, em razão de vivermos em uma sociedade demarcada por profundas faltas de oportunidades, resultando numa grande desigualdade de condições e acesso aos meios para o desenvolvimento individual e coletivo. Resta assim, a maior parte da população, dentre ela, os jovens adolescentes a terem de se contentar a “miséria do possível” que se encontra ao seu alcance na dimensão da realidade cotidiana, superficial, empobrecida e limitada por relações estritamente econômicas, pragmáticas e utilitárias, desencadeadas no âmago do sistema capitalista.

M. Gregoracci (trecho Monografia)


domingo, 15 de janeiro de 2017

sábado, 7 de janeiro de 2017

Pensamentos


Desleal? Nunca.

Ao contrário, sou muito fiel, principalmente ao meu coração.

Desleal eu seria a mim mesma, se deixasse de expressar o que sinto.

Desleal a quem não existe? menos ainda.

Mas de que adianta falar.

Segue a vida, apesar do incômodo... que continua aqui.

Algo que magoa?

Descrença.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Caminhos



Seja Bem-vindo 2017.
Que cure as feridas dos passado, nos livre dos pesos e dos males sofridos e infringidos e nos traga paz e novos e melhores ventos. Que seja belo e nos faça crescer, viver e aprender, de corpo, alma e coração. Que a sabedoria domine nossas ações e o amor os nossos corações. Assim seja.

"A carga da culpa só o perdão consegue descarregar. Um perdão a mais, uma culpa a menos."
"Tudo melhora por fora para quem cresce por dentro."


sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Okê Caboclo


Que os guias e protetores me orientem nessa missão que me foi atribuída. Em nome da paz, do amor e da caridade.
Salve a todos vocês que me acompanham, na terra e no espaço. 


Deixemos o coração falar...



sábado, 17 de dezembro de 2016

Nunca

"You're never gonna be alone
From this moment on
If you ever feel like letting go
I won't let you fall
When all hope is gone
I know that you can carry on.."


"You've gotta live every single day
Like it's the only one
What if tomorrow never comes?
Don't let it slip away."



Felix, pêto, saudades <3


terça-feira, 13 de dezembro de 2016

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

...


Quando encontramos pequenas frases que dizem tanto...


segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Assistam, por favor.


O SISTEMA PRISIONAL, A CRIMINALIZAÇÃO DO NEGRO E DO POBRE E A DESUMANIZAÇÃO DO ENCARCERAMENTO.



"Não esqueçamos quantos mártires enterramos nos anos 60 e 70, não esqueçamos quantos de nossos líderes tiveram que sair do país ou estão presos, vocês deixaram toda uma geração sem liderança. Os expulsarão do país, os colocarão na prisão e no cemitério. Matam um líder pelo medo de sua capacidade de unir as pessoas."

"A criminalização das drogas serve para encarcerar negros em um sistema muito rentável de segregação racial."

"Nosso sistema trata você melhor se for rico e culpado do que se for pobre e inocente."

"Quando alguém é preso e condenado, ele desaparece. Ninguém se importa com ele. Sob diversas formas o sistemas prisionais estão ocultados."

"Celas sem janelas. Pessoas não manteriam animais nessas condições."

"Tornam-se escravos do complexo da industria criminal, do Estado e são arrematados por corporações, mantidos sob trabalho sem qualquer remuneração ou diminuição de pena."

"Leis que tiram os supostos direitos conquistados pelos negros e pobres são produzidas. Há uma segregação racial em novos moldes."

"Herança da escravidão. Mais negros supervisionados pelo poder judicial do que escravos no século XVIII."

"A prisão é um molde de colocar PRETO E POBRE lá dentro."

"Como toleravam a escravidão, o linchamento e a segregação racial naquela época? A verdade é que estamos vivendo e estamos tolerando isso."



De quantas formas essa história se repete, em tantos lugares hoje em dia? Assista, repasse, divulgue, conte para os amigos.

domingo, 4 de dezembro de 2016

Qual sua dor?



Site incrível sobre diversos assuntos relacionados ao poder do corpo e da mente e da importância de os dois manterem-se em equilíbrio. Recomendo. Esse texto do link abaixo expõe um pouco do que passei, está relacionado às doenças psicossomáticas, provenientes de estados mentais, que podem gerar profundas dores e alterações físicas que não se descobre por diagnóstico médico e precisam ser cuidadas para não evoluírem, podendo causar males intensos à integridade emocional e física.

"Existe uma ligação entre as doenças e as emoções, entre o corpo e a mente. As emoções não surgem do nada, mas estão relacionadas com nosso modo de interpretar o que nos acontece, e estas reações podem dar lugar a sintomas fisiológicos. Da mesma forma que as doenças físicas influenciam o nosso estado de ânimo e nos provocam temor, medo ou preocupação, muitos problemas psicológicos refletem como nos sentimos em nossos corpos."

A questão não é a doença que a pessoa tem, mas sim a pessoa que tem a doença.”

-William Osler-



sábado, 3 de dezembro de 2016

A vida é agora. Ame profunda e simplesmente.


O que é a vida, se não overdose de presente, com brisas do passado e incerteza do amanhã? Um pouco de mim...

"Ela é intensa. Tudo o que ela quer é se sentir viva e deseja que "o dia mais feliz da vida dela" seja sempre o dia de hoje. Talvez ela até aceite um casamento meio diferente, quem sabe você e ela em uma ilha ou em um jardim cheio de amigos. Sendo assim, esqueça tudo o que te ensinaram sobre uma mulher para casar.

Ela não se importa com o brilho de um anel no dedo, ela só quer saber do brilho dos teus olhos quando olhar para ela toda descabelada e sorrindo, dizendo que teve mais uma ideia incrível do que vocês podem fazer nessa segunda-feira!! Ela não é mulher de finais de semana e feriados. A intensidade com que vive a vida não lhe permite ser feliz com data marcada. 

Ela não é mulher de "e viveram felizes para sempre". Ela não vai te fazer promessas de um futuro e garantias do eterno. Ela é mulher para evoluir ao teu lado e você vai aprender a conquistá-la todos os dias. O amor dela não precisa de contrato, o que a faz ficar é o teu sorriso e o teu beijo na testa. São os momentos em que ela fica sem ar de tanto você fazer cócegas nela, somente para que ela ria das tuas piadas sem graça. Por não existirem garantias, ela vai acordar todos os dias querendo te conquistar um pouco mais. Dá um trabalho danado esse lance da conquista, mas o sorriso dela vai te fazer perceber porque você opta sempre por ficar. 

Ela vai ser para sempre a tua eterna namorada. Nada de formalidades desnecessárias. O amor dela não está em uma assinatura, está nas gargalhadas e nas furadas que vocês vão se meter. Se tudo der errado, ela vai estar ao seu lado para tomar uma bebida forte e rir da falta de sorte que vez ou outra bate na nossa porta, para nos lembrar que não temos controle sobre nada. " 

- Leticia Mello, autora do livro DoforLove

Triste, Louca ou Má


"Só mesmo rejeita
Bem conhecida receita
Quem não sem dores
Aceita que tudo deve mudar

Que um homem não te define
Sua casa não te define
Sua carne não te define
Você é seu próprio lar."



Dias difíceis e dolorosos para esse país e para tantas pessoas. Nos resta continuar caminhando e não perder a fé, a esperança e o amor. Dias melhores hão de vir... Salve os vivos, os mortos desse universo inteiro, principalmente os mais necessitados. E salve a LUTA, apesar do luto. Assim seja.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Força dos pensamentos


Não é uma fórmula mágica, mas com certeza ajuda. E me ajudou no último domingo... busquei lutar contra os maus pensamentos e acreditar em minha capacidade. Falo aqui dos pensamentos positivos, da força e da saúde que eles nos trazem e do quão bem fazem, não somente a terceiros e a todos à nossa volta, mas principalmente, a nós mesmos! que somos o principal personagem de nossas vidas e quem mais precisa de força, motivação e ajuda, para que todo o lado de fora possa fluir.


Vamos tentar colocar 10% disso - do que diz no link abaixo - em prática e ver no que dá? 
Está aí uma coisa que ciência e espiritualidade concordam: a importância dos pensamentos e o imenso benefício e proteção que nos trazem, para o corpo, alma e coração, quando são POSITIVOS. Passei por períodos muito conturbados, e ainda os tenho. Mas reconheço a cada dia mais a importância do equilíbrio, da fé e da paz interior e busco pensar, sempre, que há uma força interna que vai me fazer ser capaz de caminhar e obter o que almejo e também uma força externa, do universo, que vai me conduzir pelos melhores e mais sábios caminhos da vida, repletos de amor, conquistas, paz e felicidades (assim seja).

"Para ele e para outros cientistas, a realidade que vivenciamos é resultado dos pensamentos que formulamos, e é quando ignoramos a filosofia do pensamento positivo ou nos distanciamos da energia positiva que surgem os problemas, os medos, as carências e as doenças."

http://blog.grancursosonline.com.br/o-pensamento-positivo-pode-ajudar-em-sua-aprovacao/?utm_source=hs_automation&utm_medium=email&utm_content=32891993&_hsenc=p2ANqtz-_YrQaP2MPpoBS7kZ9r2TChdHg1jN6aeN0Suuppv44lcc5fozrwERzdp0TPCD2FguvQd7LwZ1ulJJLNBuynblInsrjiwg&_hsmi=32891993

Você já emanou um pensamento positivo para si mesmo ou para algo ou alguém hoje?




quarta-feira, 16 de novembro de 2016

domingo, 13 de novembro de 2016

"When we've done all that
We could turn darkness into light
Turn evil to good."


terça-feira, 1 de novembro de 2016

Salve todos vocês...

Carta de Amor
(Maria Bethânia)

Não mexe comigo, que eu não ando só
Eu não ando só, que eu não ando só
Não mexe não!

Não mexe comigo, que eu não ando só
Eu não ando só, que eu não ando só

Eu tenho Zumbi, Besouro, o chefe dos tupis
Sou Tupinambá, tenho os erês, caboclo boiadeiro
Mãos de cura, morubichabas, cocares, arco-íris
Zarabatanas, curare, flechas e altares

À velocidade da luz, no escuro da mata escura
O breu, o silêncio, a espera
Eu tenho Jesus, Maria e José
Todos os pajés em minha companhia
O menino Deus brinca e dorme nos meus sonhos
O poeta me contou

Não mexe comigo, que eu não ando só
Eu não ando só, que eu não ando só
Não mexe não!

Não mexe comigo, que eu não ando só
Eu não ando só, eu não ando só

Não misturo, não me dobro
A rainha do mar anda de mãos dadas comigo
Me ensina o baile das ondas e canta, canta, canta pra mim
É do ouro de Oxum que é feita a armadura que guarda meu corpo
Garante meu sangue, minha garganta
O veneno do mal não acha passagem
E em meu coração, Maria acende sua luz e me aponta o caminho

Me sumo no vento, cavalgo no raio de Iansã
Giro o mundo, viro, reviro
Tô no recôncavo, tô em fez
Voo entre as estrelas, brinco de ser uma
Traço o cruzeiro do sul com a tocha da fogueira de João menino
Rezo com as três Marias, vou além
Me recolho no esplendor das nebulosas, descanso nos vales, montanhas
Durmo na forja de Ogum, mergulho no calor da lava dos vulcões
Corpo vivo de Xangô

Não ando no breu, nem ando na treva
Não ando no breu, nem ando na treva
É por onde eu vou que o santo me leva
É por onde eu vou que o santo me leva

Não ando no breu, nem ando na treva
Não ando no breu, nem ando na treva
É por onde eu vou que o santo me leva
É por onde eu vou que o santo me leva

Medo não me alcança
No deserto me acho, faço cobra morder o rabo, escorpião virar pirilampo
Meus pés recebem bálsamos, unguentos suaves das mãos de Maria
Irmã de Marta e Lázaro, no oásis de Bethânia
Pessoa que eu ando só, atente ao tempo
Não começa, nem termina, é nunca, é sempre
É tempo de reparar na balança de nobre cobre que o rei equilibra
Fulmina o injusto, deixa nua a justiça

Eu não provo do teu fel, eu não piso no teu chão
E pra onde você for, não leva o meu nome não
E pra onde você for, não leva o meu nome não

Onde vai, valente?
Você secou, seus olhos insones secaram
Não veem brotar a relva que cresce livre e verde longe da tua cegueira
Seus ouvidos se fecharam a qualquer música, a qualquer som
Nem o bem, nem o mal pensam em ti, ninguém te escolhe

Você pisa na terra, mas não a sente, apenas pisa
Apenas vaga sobre o planeta, e já nem ouve as teclas do teu piano
Você está tão mirrado que nem o diabo te ambiciona, não tem alma
Você é o oco, do oco, do oco, do sem fim do mundo

O que é teu já tá guardado
Não sou eu quem vou lhe dar
Não sou eu quem vou lhe dar
Não sou eu quem vou lhe dar

Eu posso engolir você, só pra cuspir depois
Minha fome é matéria que você não alcança
Desde o leite do peito de minha mãe
Até o sem fim dos versos, versos, versos
Que brotam do poeta em toda poesia
Sob a luz da lua que deita na palma da inspiração de Caymmi

Se choro, quando choro, e minha lágrima cai
É pra regar o capim que alimenta a vida
Chorando eu refaço as nascentes que você secou
Se desejo, o meu desejo faz subir marés de sal e sortilégio
Vivo de cara pra o vento na chuva, e quero me molhar
O terço de Fátima e o cordão de Gandhi cruzam o meu peito
Sou como a haste fina, que qualquer brisa verga, mas nenhuma espada corta

Não mexe comigo, que eu não ando só
Eu não ando só, que eu não ando só
Não mexe não!

Não mexe comigo, que eu não ando só
Eu não ando só, que eu não ando só.





Sejam bem-vindos...


sábado, 22 de outubro de 2016

I see the sky...




"Oh, if you're hearing this
I must have made it through
Oh, when the clouds are burned
Open up my window
I see the sky's still blue"

(https://www.youtube.com/watch?v=bVQ6P1DJcx0)


sábado, 15 de outubro de 2016


Diva da minha adolescência.
Bonita interpretação, bela voz.
E uma canção bem presente, para mim..

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Coragem.


Eu me vi dentro de um barco a remo. Ora, e desde quando eu sei remar? Um vento bom soprava por ali, trazendo o cheiro da maresia, que se misturava com o odor do cafezinho morno na garrafa. Vez ou outra, o vento manso, quase brisa, embaraçava os meus cabelos de forma tão poética que eu comecei a gostar da aventura.

Mas, e os remos? Se o mar permanecer na calmaria, sem problemas, vou alcançar a ilha. A ilha? Sim, agora me lembro das razões que me ensandeceram a ponto de entrar num diminuto calado e atravessar o oceano. É que eu encontrei o mapa do tesouro. Pensando nisso, comecei a remar com mais intensidade. Precisava aproveitar o dia, o bom tempo, a paixão pelo sonho e a determinação em alcançá-lo. Há de se compreender a diferença entre sonhos e projetos –, disse uma voz interior, mil vezes maldita por simplesmente ser a voz da razão.

Bem, não era um sonho, pois sonho é aquela coisa que a gente nutre desde quando se entende por gente, como conhecer a Grécia, ter uma casa na árvore ou nadar pelado no lago do chafariz. Mas o mapa que eu tinha encontrado não era aquele que me levaria à Grécia, à casinha na árvore ou à praça do chafariz. O mapa que encontrei, na verdade me foi ofertado e agora se chamava ‘projeto de vida’.

Assim, estava eu com o meu mapa do tesouro na mão direita, a mesma que segurava com força um dos remos, e fui remar: direita, esquerda, direita, esquerda e, oh céus, essa ilha que não chega nunca. O sol delirante, a noite fria, as tempestades, a sede, a fome, a presença constante de tubarões e golfinhos doidivanas. E, pior de tudo: eu estava perdendo a força física, a força mental e agora minhas emoções oscilavam entre a abnegação e o desespero.

Olhei para adiante: o que eu tinha para atingir o alvo, além da própria ambição? – Uma bússola quebrada, um par de remos puídos e… nada mais. Olhei para o céu e gritei por socorro. Aquele bem presente na angústia. Mas tudo em minha volta parecia mais assustador a cada remada que eu dava e mesmo que eu tivesse a plena convicção de que, ao chegar à ilha e encontrar o tesouro, eu seria uma pessoa encantada, daquelas que passam na rua e todos tiram seus chapéus, a única coisa que eu conseguia desejar era jamais ter saído de minha cabana na beira da lagoa, onde eu tinha água doce e pescados em abundância.

Enquanto pensava nisso, quase sentindo o frescor da singela palhoça, vislumbrei a ilha e, tal qual um ser possuído por espectros do mal, passei a remar com tamanha euforia e ganância que perdi os remos. Mas a minha vontade de ser encantado era maior e passei a remar com as próprias mãos: ora do lado esquerdo, ora do lado direito. Forças sobrenaturais invadiram o meu corpo e minha mente que agora, obstinados pela ânsia do ter, sacolejava o barco com sofreguidão e quanto mais me aproximava da ilha, mas sôfrego eu ficava.

Num repente, no paroxismo da loucura, dei um salto extravagante, conjeturando que o maldito salto me levaria a pousar na praia. Mas, tal qual uma isca idiota, mergulhei desajeitadamente no mar. Pude sentir a água salgada inflando os meus pulmões e naquele instante eu estava certo de que morreria. E morreria sem lutar pela vida, pois não havia mais força alguma em mim para isso. Assim, fechei os olhos e me deixei ser levado pelo entorpecimento maravilhoso e o escuro bonito que me trouxeram a paz de tanto eu precisava. Morto – pensei –, e fiquei quieto esperando a hora de enxergar a tal luz azul.

Um clarão amarelo, quase ensurdecedor, aqueceu o meu rosto e eu fui arrebatado das águas. Foi então que percebi a natureza em minha volta estava intacta, como se jamais tivesse sido tocado por mãos humanas. Perfeita, bela e indiferente aos elogios: eis a cabana, a lagoa, o pomar cheiroso e eu em harmonia com todos eles.

Naquele instante de real felicidade, que só se experimenta quem acorda de um pesadelo, eu acabara de certificar-me que, ao rejeitar o mapa do tesouro que me fora ofertado, eu havia feito a mais corajosa de todas as escolhas: a paz de espirito.

(Clara Dawn)

sexta-feira, 23 de setembro de 2016



"Passo as tardes pensando... faço as pazes tentando... 
Cartazes te procurando... aeronaves seguem pousando..."

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Aceitar a si mesmo.


"Outro erro comum é se deixar levar com a tentativa de ajudar a o máximo de pessoas possível. Embora seja ótimo ajudar os outros, você deve definir um limite para buscar seus próprios sonhos e esperanças. Caso contrário, você vai ficar vazio, e será incapaz de continuar a ajudar os outros.

Em vez disso, você precisa ser ousado e seguir seu coração. Não deixe que os outros fiquem em seu caminho e lembre-se de que você não pode salvar o mundo inteiro. Não negligencie o desenvolvimento pessoal e a importância de seguir o seu próprio caminho."



http://verdademundial.com.br/2016/08/empatas-sentem-se-drenados-perto-de-pessoas-falsas/

domingo, 11 de setembro de 2016


"Se você decide amar, eliminará o medo da sua alma. Ao escolher o outro caminho, você vai se sentir cada vez mais mergulhado em um poço de ansiedade onde não há lugar para o amor."





"Sabe porque você está cansado? Você está cansado porque está mudando. Você está exausto pelas razões certas, inclusive porque está a crescer. Estas são as mais claras indicações para ir adiante e restaurar a energia de que você precisa."

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

O Pequeno príncipe


"As flores são fracas. Ingênuas. Defendem-se como podem.
Elas se julgam terríveis com seus espinhos.
Para que servem os espinhos?
Há milhões e milhões de anos que as flores fabricam espinhos.
E não será importante compreender porque perdem tanto tempo fabricando espinhos inúteis?
Se alguém ama uma flor da qual só existe um exemplar em milhões e milhões de estrelas, isso basta para que seja feliz quando as contempla.
Eu conheço uma flor única no mundo, e que num belo dia pode ser liquidada num só golpe.
Minha flor está lá, nalgum lugar...
Mas se um dia for arrancada bruscamente, é para mim, como se todas as estrelas se apagassem.
Sempre houvera flores muito simples, apareciam certas manhãs 
e já à tarde se extinguiam, e que não ocupavam lugar nem incomodavam ninguém.

Pude conhecer aquela flor que brotara num dia de um grão trazido não se sabe de onde.
Assisti à instalação de um enorme botão, mas a flor não acabava mais de preparar sua beleza, 
não queria sair, no radioso esplendor da sua beleza é que queria aparecer.
Era vaidosa, misteriosa, portanto, durara dias e dias.
Eis que numa bela manhã, justamente à hora do sol nascer, havia-se afinal, mostrado.
Linda...
Não era modesta, mas era comovente.
Requeria cuidado.
Ela me afligia com sua mórbida vaidade.
Falando dos espinhos dissera:
_ Não sou uma erva má, perdoa-me!
Sob a noite coloquei-a sob a redoma.
Tomara a sério palavras sem importância, e me tornara infeliz.
Apesar de minha boa vontade, logo duvidara dela.
Não deveria tê-la escutado, bastaria olhar e aspirar o perfume da flor,
mas eu não me contentava com isso.
Não soube compreender coisa alguma!
Devia tê-la julgado pelos atos, não pelas palavras.
Ela me perfumava e iluminava... 

Não deveria jamais ter fugido.
Deveria ter-lhe adivinhado a ternura sob os seus pobres ardis.
São tão contraditórias as flores!

Mas eu era jovem demais para saber amar."

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

"Lets go back to the start"



"Ninguém disse que era fácil. Ninguém jamais disse que seria tão difícil assim."

As pessoas podem nos alertar o quanto amar e perder um amor pode ser difícil, mas ninguém está verdadeiramente preparado para o sofrimento que esse momento pode trazer. A superação é difícil e exige muito dos nossos próprios sentimentos."

http://obviousmag.org/questoes_cotidianas/2016/the-scientist-o-amor-e-o-arrependimento.html



Uma música tão querida, desde sempre.
Que diz tanto, desde sempre.

sábado, 6 de agosto de 2016